Claudia Perpetuo


Cláudia Perpétuo nasceu em Niterói, Rio de Janeiro. Desde a infância vem sendo vista apontando uma câmera para alguém, alguma coisa ou algum lugar, com o insondável desejo de tentar mostrar em imagens, instantes captados em uma fração de segundo, o que sua alma enxergava.

Sua relação com a fotografia se aprofundou da curiosidade envolvendo uma ferramenta mecânica — a câmera — e a possibilidade de utilização de algo como extensão do próprio corpo. As cenas, os flagras, os frames sempre estiveram ali, marcados em sua mente. Seu olhar para o mundo sempre foi baseado no “piscar” que reduzia todo o redor apenas ao relevante, ao necessário, ao imprescindível. A descoberta das possibilidades de uma máquina, assim, não era mais uma escolha, mas a necessidade de utilizá-la para a criação de imagens que articulassem uma impressão, um sentimento em relação ao mundo.

Se o olhar singular sempre fez parte de sua personalidade, suas temáticas se tornam também notáveis no mundo atual. O simbólico, o semiótico, o gosto elegante apurado têm origem na íntima relação com as artes visuais e a literatura. Assim, Cláudia dá notória identidade a cenas cotidianas, com um viés culto e elaborado, deixando sua marca em imagens físicas.

A reviravolta criada pelas novas tecnologias e possibilidades da era digital levou Cláudia a se especializar na Sociedade Fluminense de Fotografia e essa vocação se aprimorou criando os meios técnicos para apurar o que já existia. Desde então, seus trabalhos já percorreram o mundo, com ótima aceitação no Brasil, nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia.

Participou de exposições e vendeu obras em Seattle, Bruxelas, Milão, Nova York e Hong Kong. Três de seus trabalhos foram para a Siger Gallery, em Londres.

Veja mais em claudiaperpetuo.com

 

fotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia artefotografia arte